ATÉ QUE CHEGUES

Moacir Chrisóstomo

Esta noite percorro

uma trajetória imensa

como arco-íris

feneço lentamente

entre a luz e a retina.

Então te espero como quem

faz deste momento

o ambiente   a razão   a cena.

 

Sou mais ou menos

paria e sózia

de mim mesmo

até que chegues.

Espero-te

como quem deve

criar o motivo

e me arrancar da boca

a primavera.

  

SOU FANTASMA

Célia Lamounier de Araújo 

Sou mulher arco-íris

que é tudo e é nada

entrevista-desejada

por entre raios de sol

eternamente à espera

de um paria e sózia

que não vem.

 

Sou mais ou menos

miragem

da imagem

daquela que não serei

e mil mãos que não tenho

seguram o corpo arco-íris

 

caminho na noite

impercorrido e sonhado

faminto de flores

mas já fenecido...

Sou o dia na noite

e no sono da noite

um fantasma em poesia.

No meu Livro SIRGAS e ORGANSINS