História de Bárbara Heliodora 

 ( Célia Lamounier de Araújo)

Mulher tão linda, formas comedidas
no rosto a calma e a serenidade
nos olhos brilho, fulgor sem medidas
mulher de ontem e hoje, sem idade
Tu és Bárbara Eliodora (a mais bela flor).

Mulher amada em versos de ternura
que em tempos idos de Brasil colônia
uma princesa teve após a jura
de amor do vate, destronando Jônia
Tu és Bárbara Eliodora (a evoluída e pura).

Mulher de fibra, inteligente e culta
ama em versos, desdenha a covardia
na nossa história já seu nome avulta
por “liberdade ainda que tardia”
Tu és Bárbara Eliodora (raio de alegria).

Mulher que é mãe, e é mãe por 4 vezes
a pena deixa mas de pé enfrenta
o vacilante esposo que os reveses
da traição lhe trazem morte lenta
Tu és Bárbara Eliodora (a fiel e forte).

Mulher sofrida, triste, abandonada
pelos amigos da riqueza de antes
empurra as horas, busca a retomada
cambaleando em águas ondeantes
Tu és Bárbara Eliodora (a varonil).

Mulher imersa em ondas de loucura
a princesinha que cedo partiu
o esposo morto após longa tortura
o ouro, o rei, a rua a rir fugiu
Tu és Bárbara Eliodora (que não mais sorriu).

Mulher supera as mil vicissitudes
e ei-la poeta, avó já de dois netos,
a escrever “Conselhos” de atitudes
ensinando a trilhar caminhos retos
Tu és Bárbara Eliodora (a poeta).

Mulher que em vida soube amar a Deus
levada à cripta foi por nove padres
cantada pelos descendentes seus
bendito exemplo de vigor às madres
Tu és Bárbara Eliodora (a irmã no céu).

Tu... tu és Bárbara Eliodora
dos professores eleita patrona
mulher protótipo de ontem, de agora,
exemplo de perfeita Sinhá Dona
Tu és Bárbara Eliodora (mulher brasileira).


******
Nota: 

A assinatura de Bárbara era sem o “h”:

 Eliodora, conforme documentos por mim 

pesquisados em 1984 quando

tomei posse na Academia Feminina 

Mineira de Letras.


******