Conta uma lenda que uma certa mulher pobre com uma

criança no colo,passando diante de uma caverna escutou uma

voz misteriosa que lá de dentro lhe dizia:

 "Entre e apanhe tudo o que desejar, mas não se esqueça do principal..."


A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas.

 Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão

e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental.

A voz misteriosa falou novamente:

 

"Você só tem oito minutos"

 

Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras

preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou...

 

Lembrou-se, então, que a criança ficara lá dentro fechada para sempre!

 

A riqueza durou pouco e o desespero, sempre.

O mesmo acontece, às vezes, conosco. Temos uns oitenta anos para viver

neste mundo, e uma voz sempre nos adverte: "Não esqueça o principal!"

 

E o principal são os valores espirituais, a oração, a vigilância,

a família, os amigos, a vida! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais

nos fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado.

Assim, esgotados o nosso tempo aqui, deixamos de lado o essencial:

"Os tesouros da alma!"

 

Que jamais nos esqueçamos de que a vida, neste mundo,

passa rápido e que a morte chega inesperada.

E quando a porta dessa vida se fechar para nós,

 de nada valerão as lamentações.

 

Portanto, que jamais esqueçamos o principal!

 

(A.D)