Menino

(Célia Lamounier de Araújo) 

Menino, gigante ousado,
os ares a sobrevoar
com teu espírito criativo
o mundo queres mudar.

Menino, não vês que é cedo
para inventos recriar?
Na tua idade, contentes,
todos ainda estão a brincar.

Menino, ouvindo teus sonhos
quase me ponho a implorar
a esse Deus do universo
que venha o mundo salvar.

Menino, não vês que é tarde
e os homens estão a brigar?
Com tua essência de anjo
corra por Deus a gritar.

Menino, meu bom menino,
contigo eu quero enxergar
essa esperança de vida,
quero aprender a cantar.

Menino, não vês que choro
vendo-te assim a rezar?
Ensina aos homens, menino,
a forma certa de amar.