M U L H E R

Célia Lamounier  (livro Sirgas e Organsins - 1986)

 

Mulher!

Em todo amor, menosprezada e vilipendiada,

Não tem sequer outra mulher pra defendê-la.

Se muito ama

É apedrejada.

 

Que mundo é este?

Que homem é este o qual procura

Em armadilhas mil fazer cair

Toda mulher

E tendo conseguido o seu intento

Logo inventa

Mil maneiras

De fazer crescer um pantanal

Onde, animal saciado,

Feliz enterra tudo.

Mulher...

Não sei qual o melhor caminho

Que você deve trilhar pra defender-se.

Mas o estudo

É quase tudo.

 

Que mundo é este?

Que homem é este sempre a dizer

Palavras tão bonitas para amar

Toda mulher

E tendo conseguido o seu intento

Só alimenta

Desejo imenso

De se ver livre

Para, animal indômito,

Fazer sonhar nova mulher.

 

Mulher?

Torne-se forte, seja segura,

Aprenda a ter vontades

Que a luta – a luta é dura!

E o amor... lembre-se bem,

O amor é mal sem cura

Mas a mulher que estuda, luta e analisa

Quase sempre chega a ser: MULHER!