Tão pouco este encanto viveu
durou a eternidade da vida
de uma flor, de uma rosa
perfumada rosa azul
envaidecida.

Tão pouco este encanto durou
viveu o tempo de uma flor
colhida a esmo
ornando uma lapela
jogada fora tão singela

Durou o tempo exato
viveu por uma noite, brilhou na escuridão
e quando veio a luz da madrugada
o orvalho jogou pétalas no chão
e o amor fugiu frente à razão.

(Célia Lamounier de Araújo)

*****